Natal, solidão acompanhada…

Se o nosso tema do Blog é reflexões, não posso deixar essa data passar sem questionar a sua essência…

Vivemos uma época curta, onde tudo se vai, rapidamente, o que era ontem hoje já não o é… Necessidades, vontades, desejos são rapidamente realizados, descartados, esquecidos.

Diante da escassez de tempo, pais tentam suprir suas faltas presenteando filhos que, atolados de presentes, não esperam mais por aquele especial.

O Natal, para muitos, é uma data “a mais” para se presentear, confraternizar, descansar, comer, beber e continuar a rotina.

Empresas aproveitam a ocasião para lucrar já que não há melhor data, em todo o ano, para vender produtos.

Pessoas vão, vem, passam pelas ruas apressados, congestionamentos se formam, viagens se programam, lojas lotam e com que fim?

Alguns nostálgicos, ainda, refletem e usam a época para analisar o ano, pensar nas práticas e ações que tomaram, apressadamente, durante o percurso.

Falta tempo…

Tempo pra parar.

Tempo pra analisar.

Tempo pra sentir.

Tempo pra viver.

Em época para parar, corremos ainda mais…

Comprar presentes, visitar pessoas, planejar viagens e arrumar malas, quando iremos usar um pouco da ociosidade para vermos quem fomos e concluirmos quem somos?

Se você é empresário, quantos funcionários terminarão bem esse natal?

Quantos terão um natal frustrado e quantos sequer terão natal?

Quanto puderam viver o ano produzindo, mais, melhor e colhendo, com isso, resultados benéficos para a sua vida pessoal, na proporção justa e exata?

Não vou entrar no aspecto religioso já que para mim não é necessário, a essência permanece independente de você ter ou não religião, ou, sendo ela qual for.

O clima de natal deve transcender o momento, ir além do dia e trazer sentidos para que possamos, em realidade, nos conhecer.

Por mais presença que você tenha em festas, mais encontro com pessoas, não deixe de, por um pequeno momento que seja, se isolar, parar e pensar.

Que seja o isolamento da individualidade de seu pensamento.

Que seja o isolamento da reflexão, da solidão que, ainda que acompanhada, possa, individualmente, entrar em seu mundo, naquele que só você conhece e acessa para ver o quanto você foi você, o quanto deixou de ser e o quanto se desviou de sua essência.

Reflita, pense, use a seu favor o momento e lembre-se:

Natal sem reflexão é festa sem bolo…

Natal desacompanhado é privar-se de confraternização, risadas e comemorações…

Mas natal, distante de você próprio, em sentindo contrário ao seu encontro pessoal é inexistente, é mascaramento, é deturpação….. não é, Natal….

Por mais presença que houver em seu Natal, se não existir a solidão de sua análise e de seu refletir, nada se formará e de nada adiantará.

Que o seu possa estar recheado de festas, companhias agradáveis, MUITO TEMPO e excesso de REFLEXÕES.

Que você possa sentir a sua existência, analisar suas práticas, refazer erros e se direcionar para os acertos e sobretudo, saiba, conscientemente, dar formar e sentidos.

Um feliz, próspero, produtivo e real Natal pra você!

Anúncios

2 comentários sobre “Natal, solidão acompanhada…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s